Afroempreendedores de Salvador negociam com investidores internacionais

0
0
0
s2sdefault

Afroempreendedores soteropolitanos de diversos segmentos estão tendo a oportunidade de expor seus produtos e serviços para potenciais investidores de diversos países através da Rodada de Negócios Internacional do AfroBiz Salvador, promovido pela Prefeitura. O evento teve início nesta quinta-feira (9), no Centro de Convenções de Salvador, na Boca do Rio, e segue até amanhã (10).

Na abertura do evento estiveram presentes a vice-prefeita, Ana Paula Matos, a titular da Secretaria de Reparação (Semur), Ivete Sacramento, e o subsecretário de Cultura e Turismo (Secult), Érico Mendonça, além de afroempreendedores, cidadãos e representantes de organizações como a Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb).

Na ocasião, a vice-prefeita destacou que os afroempreendedores estão fazendo história na Bahia e que haverão outras rodas de negócio como esta para valorizar e enaltecer o trabalho dos profissionais que movem a economia da capital. "Espero que esse ponto de partida nos possibilite reconhecer o talento e o valor das pessoas pretas e capazes da nossa cidade. Se percebermos a nossa história, Salvador tem um histórico de reparação a fazer que passa por políticas básicas como educação, saúde, assistência, combate ao feminicídio e ao racismo mas, também, pela autonomia e protagonismo. Isso se faz com capacitação, empoderamento e monetização", reforçou.

Também houve uma palestra com o especialista em estratégia comercial internacional, Maurício Manfré. A Rodada de Negócios é uma iniciativa da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult) e da Secretaria Municipal da Reparação (Semur), com financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) através do Prodetur Salvador.

Ivete Sacramento ressaltou que a imagem turística de Salvador é negra, mas o retorno financeiro não chegava à comunidade que produz essa visão turística. Por isso, a capital projetou o plano de empreendedorismo afro para que os meios produtivos fossem capacitados e articulados para serem reconhecidos e valorizados.

“Este é um momento do ápice do encontro da comunidade negra que faz acontecer a cultura, arte e turismo na cidade e que era excluída do processo produtivo desse turismo. A imagem de Salvador e os produtos que a cidade oferece no turismo são produtos originados da comunidade, cultura, trabalho braçal e intelectual da comunidade negra", destacou.

Programação – A programação inclui a Feira AfroBiz Salvador, com exposição de produtos e serviços dos afroempreendedores. Ao todo 100 empreendedores negros foram selecionados através do cadastro feito no site AfroBiz Salvador para apresentar e negociar seus produtos ou serviços diretamente com empresas e investidores internacionais.

A afroempreendedora Alcione Almeida Bittencourt, que atua junto com familiares na venda de peças de vestuário étnicos, parabenizou a iniciativa da Prefeitura na promoção do conhecimento e da oportunidade de negociar seus produtos para o mundo. "Achei muito importante este evento porque está divulgando as marcas dos empreendedores e é uma experiência que dá protagonismo às mulheres negras, além do conhecimento para que possamos avançar cada vez mais. Precisamos ser reconhecidas e reconhecidos", afirmou.

Além de serviços de guia de turismo, quem comparecer na feira para apreciar o trabalho dos empreendedores poderá comprar itens como roupas e acessórios de moda étnica, produtos de saboaria natural como shampoo e condicionador para cabelos crespos e cacheados, e produtos para cuidados com a pele negra, entre outros.

Funcionamento – Nesta sexta-feira (10) o evento ocorre das 14h às 20h, com entrada gratuita. Além de visitar a feira, soteropolitanos e turistas poderão participar ainda da roda de conversa com os estilistas Gefferson Vila Nova e Silla Maria Filgueira. Haverá ainda música e entretenimento variado.

FONTE: SECOM

0
0
0
s2sdefault